Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

domingo, 8 de novembro de 2015

Homossexualidade: X-Men – Jovens Vingadores – Autorithy – Ghotam City – Contra o Crime

Por Caio Ferraro 
Nós trabalhamos os quadrinhos em sala de aula em 3 fases: 1ª quadrinhos que tratam diretamente do fato histórico; 2ª quadrinhos que tratam indiretamente da temática abordada; 3ª quadrinhos que não tratam a temática em questão.
Essa aula sobre Homossexualidade foi aplicada justamente na 3ª fase. Nesta etapa os alunos trabalham com a idéia que todo material de mídia serve como fonte histórica e são auxiliados na busca de informações invisíveis a uma leitura superficial.
Todos os alunos receberam o material individualmente, composta de 6 páginas essa seleção conta apenas com HQ’s “atuais” (leia-se últimos 10 anos), com a intenção de discutir a maneira como é retratada Homossexualidade.
Jovens Vingadores
Jovens Vingadores

Autorithy
Ghotam City – Contra o Crime

X-Men

Diferente de outras aulas essa segue um rumo determinado, porque indepedente de reações homofóbicas após a primeira leitura do material há uma introdução da história da homossexualidade, indicando que as relações entre pessoas do mesmo sexo estão presentes no decorrer da nossa história social, desmistificando a idéia de que seja um “problema” atual. Os vídeos no final do post foram de valiosa ajuda.
Depois de uma breve introdução histórica retomamos a análise do material:
I – Jovens Vingadores: o romance entre dois membros homens da equipe poderia pressupor o liberalismo sobre o tema nas HQ’s da editora MARVEL, porém a forma velada com que é retratada a relação representa que o tabu ainda está presente: não há trocas físicas de afeição e até mesmo o “Eu te amo” fica subentendido. Há ainda a referência à São Francisco, que ressaltaremos adiante.
II – Autorithy: aqui focamos na base ideológica das histórias do “super grupo”. Explicamos aos alunos que o grupo é uma releitura crítica das principais personagens da editora DC comics, como por exemplo os noivos Apolo e Meia-Noite, que são as representações do Superman e Batman respectivamente. Todas as histórias do grupo se desenvolvem sobre o pensamento: “o que os super-heróis fariam no mundo real?” e diante da visão sempre crítica à sociedade surge o contexto em que um casamento homossexual entre as principais personagens da história seja possível.
III – Ghotam City – Contra o Crime: o foco aqui foi ressaltar primeiramente a utilização de personagens secundárias para trabalhar o tema (assim como Jovens Vingadores, sem envolver os principais ícones das duas principais editoras), no caso a policial René Montoya, coadjuvante nas histórias do Batman. Discutimos muito essa questão da aceitação familiar, em que as pessoas tomam o ato de aceitar como se fosse um favor a um doente.
IV – X-Men: essa única página final contribui e muito nesse aprendizado que é analisar historicamente todo e qualquer conteúdo. O jornal no chão do gueto traz a manchete que conclui a história: “Prefeita recebe os X-Men na cidade”. Primeira pergunta aos alunos: Qual cidade? São Francisco. Segunda pergunta: Em que outro quadrinho trabalhado a cidade de São Francisco é citada? Porque? Explicamos o motivo da cidade ser escolhida como referência do liberalismo homossexual e como a presença de um grupo omo os X-Mem, “pessoas odiadas e temidas por serem diferentes”, está diretamente relacionada com a história da cidade. Citamos ainda como opção o filme MILK.
vídeos:

site:

“Você quer contar que é Lésbica? É isso? Lembra como eufiquei louco quando descobri? E você quer contar isso praeles? A mamãe tava chorando quando me ligou, Renne! Ela me perguntou onde tinha errado e estava rezando pela suaalma!”

http://historiaequadrinhos.com.br/homossexualidade-x-men-jovens-vingadores-autorithy-ghotam-city-contra-o-crime/
Postar um comentário