Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

sábado, 28 de março de 2015

Vírus disseminado via SMS no celular é capaz de ‘se passar por humano’ -



Um novo vírus que tem uma capacidade curiosa foi descoberto: burlar sistemas de reconhecimento de imagemcaptcha, aqueles números e letras que normalmente aparecem no final de formulários online. Descoberto no final de 2014 pelo Kaspersky Lab, ele consegue fingir que as requisições foram feitas por um ser humano, e não por um bot qualquer.
Vírus disseminado via SMS é capaz de enganar o captcha 

(Foto: Luciana Maline/TechTudo)



Batizado de Trojan-SMS.AndroidOS.Podec, ou simplesmente Podec, ele consegue burlar os captchas de uma forma bem engenhosa. Usando serviços de tradução humana em tempo real, tais como o Antigate.com, em poucos segundos, um ser humano reconhece o captcha e devolve a resposta para os servidores do vírus.

Segundo a Kaspersky, de acordo com os dados que ela conseguiu coletar, o Podec é direcionado para usuários Android, oriundos especialmente da rede social russa Vkontakte. Por causa disso, a maioria dos infectados se encontra na Rússia ou em países vizinhos. Porém, usuários na América Latina também foram infectados ao baixarem jogos “crakeados”, tais como o Minecraft - Pocket Edition.

Ao se instalar no seu smartphone, a primeira coisa que o Podec faz é solicitar privilégios de administrador. Se forem concedidos, fica ainda mais difícil remover ou impedir a execução do código malicioso. Além disso, o desenvolvimento do código do Podec é bem sofisticado. Ele possui muitas classificações lixo e ofuscações de código, o que dificulta a análise do código-fonte. E para dificultar ainda mais, os desenvolvedores usam um protetor de código-fonte legítimo e bem caro. Isso torna quase impossível o acesso e a análise do código do Podec.


No final das contas, quando o Podec consegue se instalar, ele tenta tirar dinheiro do usuário infectado por meio de cadastros em serviços que exigem uma tarifa adicional. Ele tem a capacidade de inibir o sistema que mostra ao usuário o preço de determinado serviço e que requer autorização para completar a transação. 

Victor Chebyshev, Diretor do Grupo de Pesquisa No-Intel da Kaspersky Lab, disse em um relatório: "O Podec marca uma nova e perigosa fase na evolução dos malwares móveis. As ferramentas de engenharia social utilizadas na sua distribuição, a proteção avançada usada para ocultar códigos maliciosos e o complicado processo de extorsão projetado para passar no teste captcha, nos levam a crer que este trojan está sendo desenvolvido por uma equipe de programadores Android especializados em fraudes e monetização ilegal”.
Portanto, para evitar ser contaminado por este perigoso vírus, tenha cuidado ao instalar aplicativos de fora da Google Play e também de baixar aqueles apps gratuitos que parecem oferecerem mais do que deviam. Curiosamente, a Kaspersky Lab diz que o único antivírus para dispositivos móveis capaz de barrar o Trojan-SMS.AndroidOS.Podec é o Kaspersky.




TECH TUDO DO G1

AVC e câncer: veja as doenças crônicas mais comuns no Brasil

Em 2013 o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE, divulgou os resultados da primeira edição da Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em convênio com o Ministério da Saúde. Nela foi analisada a percepção do estado de saúde e do estilo de vida da população brasileira. Outro foco do trabalho foram as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), que constituem o problema de maior magnitude nessa área no país e respondem por mais de 70% das causas de morte no Brasil.




Foto: iStock

De acordo com o documento, elas têm forte ligação com fatores de risco, como o consumo abusivo de álcool, o excesso de peso, os níveis elevados de colesterol, o tabagismo, o baixo consumo de frutas e verduras e o sedentarismo, o que, inclusive, já foi demonstrado por diversos estudos científicos. E, por isso, o monitoramento desses itens é primordial para a definição de políticas de saúde voltadas para a prevenção desses males. Além disso, as suas páginas contaram com um levantamento das 11 principais DCNT, que têm respondido por um número elevado de falecimentos antes dos 70 anos de idade e a perda da qualidade de vida de muitas pessoas. Veja quais são: 
Hipertensão arterial 

Conhecida também como pressão alta, ela á um importante fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e é considerada um problema de saúde pública no Brasil e no mundo. A proporção de indivíduos maiores de 18 anos que relataram ter recebido esse diagnóstico durante a pesquisa foi de 21,4%, o que corresponde a 31,3 milhões de pessoas. 



Diabetes 

Trata-se de um transtorno metabólico provocado por hiperglicemia, em outras palavras, o excesso de açúcar no sangue, que acontece quando a insulina, hormônio responsável pela entrada da glicose nas células, é insuficiente (diabetes do tipo 1) ou tem sua ação dificultada pelo excesso de peso (diabetes do tipo 2). A Pesquisa Nacional de saúde estimou que 6,2% da população acima de 18 anos de idade ou mais sofrem com o problema, o equivalente a 9,1 milhões de pessoas. 



Colesterol alto 

Provocado principalmente por causa do consumo exagerado de gorduras, esse problema aumenta o risco do surgimento de doenças cardiovasculares. O levantamento apontou que 12,5% dos brasileiros maiores de idade, porcentagem que corresponde a 18,4 milhões de pessoas, já receberam o diagnóstico desse mal.

Asma 
Caracteriza-se por uma inflamação crônica que afeta as vias aéreas e compromete também os pulmões. Ela provoca falta de ar, tosse seca e sensação de pressão no peito e, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, ocupa o primeiro lugar na prevalência das doenças respiratórias crônicas no mundo. No Brasil 4,4% das pessoas com 18 anos ou mais afirmaram sofrer com o mal (6,3 milhões), de acordo com o IBGE. 



Doenças cardiovasculares 

Elas são a principal causa de morte no Brasil e, apesar da mortalidade provocada por elas ter diminuído nos últimos anos, esses problemas, que têm como principais fatores de risco o tabagismo, o sedentarismo e o consumo abusivo de álcool e de alimentos riscos em gorduras e calorias, ainda geram os maiores custos relacionados a internações hospitalares. Na pesquisa, 4,2% da população adulta, o que corresponde a 6,1 milhões de pessoas, já haviam recebido esse diagnóstico. 



Acidente vascular cerebral 

Essa é uma das principais causas de mortes e incapacidade no mundo e é caracterizado por um entupimento ou rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro, provocando dor de cabeça, perda de visão, instabilidade e paralisia, entre outros sintomas. De acordo com o levantamento feito pelo IBGE, 1,5% dos brasileiros maiores de idade, o que corresponde a 2,2 milhões de pessoas, referiu diagnóstico desse problema, que também é conhecido como AVC e derrame. 



Problemas crônicos de coluna 

As dores e os problemas muscoesqueléticos, tendo como foco mais comum a região lombar, acometem uma grande parcela da população e provocam um forte impacto econômico e na qualidade de vida dos pacientes. Aproximadamente 27 milhões de pessoas com 18 anos ou mais (18,5%) contaram que sofrem com esse tipo de quadro durante a pesquisa. 



Distúrbios Osteomoleculares relacionados ao trabalho

Conhecidos como DORT, eles são caracterizados como quadros dolorosos e prejudiciais causados pelo uso excessivo de alguma parte do sistema musculoesquelético, geralmente resultante de atividades ligadas ao trabalho. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, 2,4% dos brasileiros (3,5 milhões) maiores de idade relataram já ter recebido um diagnóstico desse problema. 


Depressão


É um distúrbio afetivo que tem como principal sintoma a tristeza profunda e prolongada, muitas vezes sem causa aparente. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a depressão é o principal item na carga global de doenças do mundo. Por aqui a estimativa é que ela acometa 7,6% das pessoas com 18 anos ou mais, o que representa 11,2 milhões. 



Insuficiência renal crônica

Uma pessoa recebe esse diagnóstico quando sofre uma lesão nos rins ou uma redução na função desses órgãos por três meses ou mais, independente de qual tenha sido a causa do quadro. Cerca de 1,4% (2,05 milhões) dos brasileiros maiores de idade reportaram essa doença, que pode envolver dieta,, medicamentos e hemodiálise no seu tratamento, durante o levantamento. 


Câncer


Esse é o nome dado para um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células que invadem os tecidos e os órgãos. Como se dividem rapidamente, elas tendem a ser muito agressivas e incontroláveis, provocando problemas em várias partes do corpo e levando a formação de tumores malignos que podem ainda se espalhar por outras regiões do organismo. A estimativa da pesquisa é que 1,4% (2,7 milhões) dos brasileiros adultos já tenham ouvido esse diagnóstico. 




ESPECIAL PARA TERRA

Horóscopo 29-03-2015

ÁRIES

Rotina: vantagens virão de suas novas atividades junto a grupos e em sociedades. Mas, procure se mostrar mais aberto a ideias alheias. 
Interesses: lucros imprevistos e compensações materiais com bens e propriedades. 
Intimidade: acertada solução de problemas, dúvidas e questões de íntimos. 

TOURO

Rotina: momento que lhe trará benefícios, desde que se motive para o bom relacionamento e afável convivência com a família. 
Interesses: quadro de acerto e acuidade com as suas atividades de trabalho, se as tiver. Nas finanças, evite as novas dívidas. 
Intimidade: quadro de forte emotividade.

GÊMEOS

Rotina: bom entendimento trará maior satisfação para a sua lida com os assuntos de família. 
Interesses: quadro estável com trânsito que gera benefícios em atividades de caráter intelectual. Finanças bem protegidas. Intimidade: procure valorizar os pequenos gestos de carinho dos íntimos. 

CÂNCER

Rotina: agora, você verá ampliadas suas acuidade e segurança na lida com pendências do cotidiano em família. Intuição muito ampliada. 
Interesses: procure um comportamento mais seguro e firme para os seus gastos e compromissos e evite negócios vultosos. Intimidade: romantismo e sensibilidade.

LEÃO

Rotina: momento que lhe reserva boas indicações pessoais, desde que mostre mais otimismo e confiança nas suas atitudes com a família. 
Interesses: preocupação com novas dívidas quando podem ocorrer fatos inesperados envolvendo interesses materiais pendentes. 
Intimidade: sentimentos expostos.

VIRGEM

Rotina: influência de forte aspecto fará com que tome decisões com maior rigor na lida com a família. Mas, procure ser justo e equilibrado. 
Interesses: evite gastos exagerados e atente às suas dívidas. Há agora a possibilidade de novidades com dinheiro. Intimidade: preocupações superadas.

LIBRA

Rotina: sábado benéfico na lida pessoal em momento marcado por suas decisões em desafios do cotidiano. 
Interesses: você terá momento marcante com as influências de amigos na sua lida com as finanças. 
Intimidade: seja mais cuidadoso ao tratar das pequenas questões da rotina de vida íntima.

ESCORPIÃO

Rotina: ao longo de um complicado fim de semana procure não agir de forma agressiva ao tratar com pessoas próximas. Hoje você estará mais sensível à crítica ou avaliação depreciativa em seu ambiente de relações sociais. Interesses: bom dia para as finanças. 
Intimidade: evite confidências.

SAGITÁRIO

Rotina: com aspectos que mostram melhor ânimo e maior determinação para impor valores e suas ideias, procure agir de forma mais confiante. 
Interesses: dia que mostra desânimo com a influência negativa de pessoas estranhas no trabalho, se o tiver. 
Intimidade: desejos atendidos com íntimos. 

CAPRICÓRNIO

Rotina: fim de semana moldado em quadro de estabilidade para os seus relacionamentos e lida com a família. 
Interesses: compromissos longos ou de muito valor bem encaminhados. Hoje, você será compensado, mesmo em situações difíceis. 
Intimidade: oportuna partilha de sentimentos e de afeto. 

AQUÁRIO

Rotina: entendimento proveitoso virá da ação de pessoa próxima de suas relações recentes. Boa lida em família. 
Interesses: quadro de superação de problema combinando influências que apontam vantagem no planejamento de atos, viagens e sua forma de ganhar a vida. 
Intimidade: emoções expostas. 

PEIXES

Rotina: sábado de forte acuidade mental em um momento propício para aplicar habilidade na prática nos planos pessoais. Interesses: compensação no campo das finanças. Mas, com novas demandas e exigências, é bom mostrar cautela ao tomar decisões. 
Intimidade: dia de inquietação e de dúvidas no amor.


GAZETA DIGITAL

Na chuva, Vettel quase tira pole de Hamilton; Massa é 7º, Nasr cai no Q1 - No treino classificatório do GP da Malásia, alemão da Ferrari brilha no molhada e fica a 0s074 do inglês da Mercedes. Nico é 3º. Brasileiro da Sauber tem problema no carro


No treino classificatório do GP da Malásia, alemão da Ferrari brilha no molhada e fica a 0s074 do inglês da Mercedes. Nico é 3º. Brasileiro da Sauber tem problema no carro
Lewis Hamilton no treino classificatório para o GP da Malásia 

(Foto: Getty Images)


A tradicional chuva de fim de tarde em Sepang caiu com força no meio do treino classificatório deste sábado, que definiu o grid de largada do GP da Malásia. E se em condições climáticas normais as Mercedes de Lewis Hamilton são imbatíveis, era na pista molhada que os concorrentes alimentavam esperança de desbancar as Flechas de Prata. Mas o bicampeão Lewis Hamilton, atual líder do campeonato, fez sua parte e garantiu a pole position com o tempo de 1m49s834. Ele só não contava que não seria o companheiro Nico Rosberg, mas sim o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, seu principal concorrente desta vez. Nos instantes finais da sessão, o tetracampeão encaixou uma ótima volta e anotou 1m49s908, ficando a 74 milésimos do britânico. Não fosse uma balançada na última curva do circuito, ele poderia ter superado o tempo de Lewis, que ainda teria mais uma chance de recuperar a primeira posição, caso tivesse sido superado.


Lewis Hamilton entre Nico Rosberg e Sebastian Vettel. 
Os três primeiros no treino da Malásia 

(Foto: Reuters)


Relegado a coadjuvante, Rosberg marcou 1m50s299 e teve que se contentar com o terceiro lugar no grid. A Williams, mais uma vez se atrapalhou com a estratégia, fazendo Felipe Massa e Valtteri Bottas abortarem várias voltas durante o Q3. Ao fim, o brasileiro ficou com a sétima colocação, enquanto o finlandês foi o nono. A RBR reagiu e emplacou seus dois pilotos no top 5: Daniel Ricciardo em quarto e Daniil Kvyat em quinto. Max Verstappen (STR) foi o sexto e Romain Grosjean (Lotus), o sétimo. A surpresa ficou por conta do sueco Marcus Ericsson, que levou a Sauber ao Q3 e ficou com o décimo lugar. Quem decepcionou foi Kimi Raikkonen. Depois de mostrar força nos treinos livres, o finlandês pegou tráfego no Q2, não conseguiu melhorar o tempo por causa do começo da chuva e foi eliminado, ficando com o 11º lugar.
Já Felipe Nasr, após a histórica estreia na Austrália, tem amargado um fim de semana difícil. Com um problema no diferencial do carro (sistema que faz as rodas girarem em rotações diferentes nas curvas), o brasiliense acabou precocemente eliminado no Q1, junto com as McLaren de Fernando Alonso e Jenson Button e as Manor de Roberto Merhi e Will Stevens. Com isso, Nasr largará na 16ª colocação.

Q1 - com problemas, nasr é eliminado

Como já era de se esperar, com a McLaren, ainda sofrendo neste início de parceria com a Honda, e a Manor/Marussia se arrastando com um carro de 2014 adaptado, Fernando Alonso, Jenson Button, Roberto Merhi e Will Stevens foram eliminados no Q1. Com isso, restava apenas um para também sair fora precocemente da sessão. Nos instantes finais, quem ocupava a ingrata posição era Romain Grosjean. Mas no zerar do cronômetro, o francês da Lotus pulou para sexto e empurrou para a zona de corte justamente Felipe Nasr, que ficou com a 16ª colocação.


Eliminados no Q1: Felipe Nasr (Sauber), Button (McLaren), Alonso (McLaren), Merhi (Manor) e Stevens (Manor)


Classificados para o Q2: Hamilton (Mercedes), Rosberg (Mercedes), Vettel (Ferrari), Sainz (STR), Bottas (Williams), Grosjean (Lotus), Ericsson (Sauber), Maldonado (Lotus), Raikkonen (Ferrari), Ricciardo (RBR), Massa (Williams), Kvyat (RBR), Verstappen (STR), Hulkenberg (Force India) e Pérez (Force India)


Q2 - chuva trai raikkonen

Por causa da ameaça de chuva, todos foram para a pista assim que começou o Q2. Rosberg, Vettel e Bottas conseguiram voltas limpas logo de cara e assumiram as primeiras posições, enquanto Hamilton e Raikkonen pegaram tráfego e ficaram, respectivamente, em oitavo e 11º. Felipe Massa fez um tempo intermediário, ficando com o sexto tempo. Mas a temida chuva caiu logo em seguida, e forte, para desespero do finlandês. Sem a possibilidade dos pilotos melhorarem seus tempos por causa da pista molhada, os eliminados foram conhecidos ainda a 7 minutos do fim: Kimi, Pastor Maldonado (Lotus), Nico Hulkenberg (Force India), Sergio Pérez (Force India) e Carlos Sainz (STR). Quem surpreendeu foi o parceiro de Nasr, Marcus Ericcson, que levou a Sauber ao Q3 com o décimo tempo.


Eliminados no Q2: Raikkonen (Ferrari), Maldonado (Lotus), Hulkenberg (Force India), Pérez (Force India) e Sainz (STR)


Classificados para o Q3: Rosberg (Mercedes), Vettel (Ferrari), Bottas (Williams), Ricciardo (RBR), Grosjean (Lotus), Massa (Williams), Verstappen (STR), Hamilton (Mercedes), Kvyat (RBR) e Ericsson (Sauber) 


Q3 - vettel quase rouba pole de hamilton


Por causa da forte chuva, a direção de prova decidiu adiar o início do Q3 em mais de meia hora. Ainda com pista molhada, a maioria dos pilotos escolheu pneus intermediários, enquanto Bottas apostou nos compostos de chuva extrema e precisou voltar aos boxes para corrigir o erro.
Vettel foi o primeiro a marcar tempo, 1m53s178, mas logo foi desbancado por Rosberg, 1m51s066. Na sequência, Hamilton se impôs com 1m49s834. Restando três minutos para o fim do treino, a dupla da Williams havia abortado todas as voltas e não tinha marcado tempo.
Nos instantes finais, não fosse uma balançada na última curva, o tetracampeão da Ferrari poderia ter tirado a pole de Hamilton. O alemão ficou a apenas 0s074 do inglês. 




G 1

Hora do Planeta deve mobilizar um bilhão de pessoas neste sábado - Movimento global que propõe reflexão sobre consumo de energia realiza sua sétima edição hoje

Movimento global que propõe reflexão sobre consumo de energia realiza sua sétima edição hoje

Foto: Leandro Maciel / ARTE ZH

Lara Ely



São 19h. Você acaba de chegar do trabalho. Antes de dizer olá para quem está em casa, procura uma tomada, coloca o smartphone para carregar, vistoria as redes sociais e aí então pode iniciar um diálogo na vida real.

Esse é um sintoma do mundo contemporâneo: somos ávidos por energia para nos mantermos conectados. Nos alimentamos de informações, e para isso, dependemos dos recursos naturais. Será que nos damos conta do que a crise hídrica tem a ver com nosso papo no WhatsApp?


Como a primeira geração a sentir o impacto das mudanças climáticas, somos também a última que pode fazer algo a respeito. Repetida por lideranças mundiais como Barack Obama, presidente dos EUA, essa afirmação pode não ser completamente verdade, mas ganha relevância quando endossada pela atitude de mais de um bilhão de pessoas, em 7 mil cidades e 162 países — esses foram os números da Hora do Planeta no ano passado. 



Veja o vídeo oficial da Hora do Planeta 2015 



O evento, promovido pela organização não-governamental WWF (World Wide Fund for Nature, ou Fundo Mundial para a Natureza), chega a sua sétima edição na noite de hoje. A ideia é que, durante uma hora, entre 20h30min e 21h30min, a gente fique no escuro, e sem usar equipamentos elétricos, em nome da preservação ambiental.

Apagar a luz entre o Jornal Nacional e a "novela da oito" é apenas uma metáfora para repensar nosso cuidado com o planeta. A atitude poderia ser substituída por plantar uma árvore, engajar-se na redução do lixo, trocar alimentos industrializados por orgânicos, ou zelar pela proteção da Amazônia. Mas se você conversar sobre isso com seu filho, seus pais, seus amigos, seus colegas de trabalho, já estará ajudando.

A adesão ao movimento internacional, compartilhado por estrelas como o ator de Holywood Mark Ruffalo e a atriz global Paolla Oliveira, representa um grito coletivo pela mudança nos padrões de consumo. A questão ambiental tornou-se uma pauta central. Envolve da conta da luz à forma como pais buscam os filhos na escola. Passa pela sua mesa e dorme na sua lata de lixo. Ser sustentável não é mais "coisa de ambientalista", mas de quem está atento à sobrevivência. 



Efeito da escuridão



Este ano, 150 cidades brasileiras participam da Hora do Planeta. Em 2014, o Brasil teve 144 municípios diminuindo a iluminação de 627 monumentos, como o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e o Monumento ao Expedicionário, em Porto Alegre. Mas será que essa escuridão toda tem efeito?

A WWF não conseguiu até hoje estimar o quanto essas ações ajudam a reduzir a temperatura da Terra. Segundo o "ambientalista cético" Bjorn Lomborg, que escreveu livro de mesmo nome, não chega a provocar cócegas no superaquecimento da Terra — o impacto quase irrisório inibe o cálculo da economia.

Realizadores da campanha não veem na ausência de estatísticas um obstáculo para a mobilização. Coordenador do Programa de Mudanças Climáticas e Energia da WWF, André Costa Nahur diz que a grande adesão é um sinal de que o recado foi entendido:

— Temos que internalizar o fato de que a energia é um recurso natural que está sendo consumido. Se não tivemos a consciência de uma vida mais sustentável, nosso destino como sociedade é sermos reféns de catástrofes e crises ambientais, como a recente seca na cidade de São Paulo — afirma o ambientalista.

O engenheiro Odilon Duarte, coordenador do grupo de eficiência energética da PUCRS, complementa:

— Utilizar os recursos naturais de uma forma consciente na produção de tecnologias, desenvolvimentos de processos industriais e em planejamento de infraestruturas é uma forma econômica, eficaz e rápida para amenizar o impacto das mudanças climáticas.



O QUE FAZER DURANTE A HORA DO PLANETA?



Deixe o celular, o carro e o computador de lado. Acenda velas e jogue conversa fora com alguém até perder-se no tempo. Se tiver talento, ou amigos talentosos, forme uma roda de violão. Ou use a escuridão da rua para apreciar melhor o brilho das estrelas e encontrar constelações, astros, planetas.

— Se todas luminárias fossem desligadas poderíamos ver a Via-Láctea (sem nuvens, obviamente) — afirma Claudio Miguel Bevilacqua, diretor do Observatório Astronômico da UFRGS. 



QUE OUTRAS MEDIDAS EQUIVALEM A DEIXAR A LUZ APAGADA?



1. Otimizar o tempo de banho — para começar, só abra o chuveiro quando realmente for se lavar

2. Regular o ar-condicionado de acordo com a estação (verão é entre 23ºC e 25ºC e inverno, entre 20ºC e 22ºC)

3. Substituir equipamentos obsoletos por equipamentos mais eficientes

4. Procurar adquirir eletrodomésticos com o selo A do Procel

5. Aproveitar a iluminação natural durante o dia nos ambientes

6. Evitar deixar equipamentos no modo stand by e sim desligá-los

7. Ao usar a geladeira, evitar colocar alimentos quentes

8. Fazer a manutenção da borracha da geladeira (e garantir a vedação)

9. Optar por lâmpadas fluorescentes compactas ou a lâmpadas de led

10. Reunir quantidade significativa de roupa para usar carga máxima da máquina de lavar

Fonte: engenheiro Odilon Duarte, coordenador do grupo de eficiência energética da PUCRS.




Diário Gaúcho

Jovem morre depois de briga em casa noturna de Florianópolis - De acordo com assessoria de imprensa, essa é a primeira vez que ocorre um caso desse tipo




Cela da 5ª DP, na Trindade, onde Leonardo dos Passos Pereira está detido; par de tênis é dele 

Foto: Leo Cardoso / Agência RBS


Uma briga dentro da casa noturna Fields, no centro de Florianópolis, provocou uma morte na madrugada deste sábado. De acordo com informações da Polícia Militar, Leonardo dos Passos Pereira e Diogo Cuiabano de Medeiros, 26 anos, esbarraram-se na saída do banheiro por volta das 4h40, quando Pereira quebrou um copo de vidro e atingiu a garganta de Medeiros, que perdeu muito sangue e morreu no local, antes da chegada da ambulância do SAMU.

Segundo a assessoria de imprensa da casa, essa é a primeira vez que uma ocorrência desse tipo ocorre no local. As informações são de que o agressor estava na casa pela primeira vez e a vítima era frequentadora assídua, tendo ido 13 vezes.

Ainda conforme a assessoria, Medeiros recebeu o primeiro atendimento médico do Bombeiro Militar que trabalha no local todas as noites e foi acionado atendimento médico. Os seguranças da casa detiveram Pereira, que foi encaminhado para a Central de Plantão Policial, na Trindade, e já confessou a autoria, de acordo com a Delegacia de Homicídios. 

Quem era a vítima 


Diogo Cuiabano de Medeiros tinha 26 anos e era natural do Rio de Janeiro. Em 2013, ele foi aprovado para o vestibular de Engenharia Eletrônica na UFSC e morava em Florianópolis. A sua página no Facebook é bloqueada, mas mostra que o carioca torcia para o Vasco da Gama e do Barcelona e era fã de música eletrônica, colecionando curtidas nas páginas dos artistas Calvin Harris, Hardwell, Steve Aoki e Avicii. 

O tio e primos, que também moram na Capital, foram reconhecer o corpo de Diogo no Instituto Médico Legal (IML). A mãe, Flavia Cuiabano, é 1ª Tenente do Corpo de Bombeiros e trabalha como médica da 3ª Policlínica do Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro, em Niterói. Ela já foi informada do ocorrido e está se deslocando para Florianópolis.

Versões conflitantesEm depoimento à polícia, o agressor disse que, ao esbarrar com a vítima, esta teria feito um gesto de tirar algum objeto da roupa. Ele se assustou e então desferiu o golpe com o copo. 

Na versão do servente de limpeza que estava no banheiro no momento da ocorrência, Pereira deliberadamente teria esbarrado no ombro de Medeiros, que mesmo assim teria lhe pedido desculpas. Em seguida, ainda conforme o depoimento do terceirizado que presta serviço à Fields, o agressor derrubou a garrafa long neck de cerveja da vítima com um tapa. Esta teria voltado para o banheiro para se afastar, mas o agressor a seguiu, quebrou o copo que carregava e atingiu-lhe no pescoço. Sangrando muito, Medeiros apoiou-se na pia, enquanto os seguranças e o socorrista da casa entraram em ação. 

A administração da Fields definirá na manhã deste sábado questões operacionais, como a abertura nesta noite e a troca de copos de vidro por de outros materiais.




DIÁRIO CATARINENSE

Gilberto Barros se despede da RedeTV! e equipe técnica festeja aliviada






Foto: Divulgação

Gilberto Barros se despediu nesta quinta-feira da RedeTV!. O apresentador não teve seu contrato renovado,como o blog havia adiantado. Quando foi se despedir da equipe técnica, ele até ganhou alguns sorrisos e aperto de mão, mas a comemcoração rolou solta assim que o apresentador deixou a sede do canal.

A fama de Gilberto na RedeTV! não era das melhores. Ele vivia se desentendendo com câmeras, operadores de luz e de som. Não era fácil trabalhar com Leão, por isso mesmo ninguém sentirá saudade dele. Que coisa, hein?




YAHOO

Condutor de caminhonete morre ao bater em caminhão na Enseada de Brito - Vítima chama-se Wanderley Machado e tinha 35 anos; caminhoneiro saiu ileso


Vítima chama-se Wanderley Machado e tinha 35 anos; caminhoneiro saiu ileso


Impacto do choque foi tão grande que jet ski que estava no reboque foi parar a 50 metros da colisão 

Foto: Divulgação / Divulgação


Um acidente envolvendo um caminhão e uma caminhonete com reboque na manhã deste sábado no km 230 da BR-101, na Enseada de Brito, em Palhoça, na Grande Florianópolis, resultou na morte de Wanderley Machado, 35 anos. 

A vítima conduzia a Mitsubishi L200 branca que chocou-se violentamente na traseira da Scania. O impacto foi tão forte que um jetski que estava no reboque da pick-up foi parar a 50 metros do acidente.

O condutor do caminhão, Edson Rachadel, 33 anos, nada sofreu. A Polícia Rodoviária Federal não forneceu mais detalhes. 

Operação Zelotes investiga bancos, montadoras e empreiteiras, diz jornal - PF apura suposta prática de suborno para anulação de débitos fiscais. Apuração envolve 70 empresas. Prejuízo estimado à Receita é de R$ 19 bi.


Operação Zelotes investiga bancos, montadoras e empreiteiras, diz jornal - PF apura suposta prática de suborno para anulação de débitos fiscais.
Apuração envolve 70 empresas. Prejuízo estimado à Receita é de R$ 19 bi.

Algumas das maiores empresas do país – entre bancos, montadoras e empreiteiras – são investigadas na Operação Zelotes, da Polícia Federal, segundo informou reportagem da edição deste sábado (28) do jornal "O Estado de S. Paulo".

De acordo com a reportagem, a PF apura suspeita de pagamento de propina para integrantes do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) a fim de anular ou reduzir débitos tributários com a Receita Federal. 

O Carf é um órgão do Ministério da Fazenda responsável pelo julgamento de recursos de empresas multadas pela Receita.

De acordo com a PF, são alvos da investigação na Operação Zelotes ao menos 70 empresas, 15 escritórios de advocacia ou consultoria e 24 pessoas, entre as quais conselheiros e ex-conselheiros do Carf.

O prejuízo estimado pelos investigadores aos cofres da Receita é de R$ 19 bilhões, dos quais R$ 5,7 bilhões, segundo a PF, já estão comprovados.




Segundo "O Estado de S. Paulo", estão entre as empresas investigadas as montadoras Ford e Mitsubishi; os bancos Bradesco, Santander, Safra e Bank Boston (este último, comprado pelo Itaú em 2006); a seguradora Bradesco Seguros; a empreiteira Camargo Corrêa; grupo Gerdau, do setor siderúrgico; a estatal Petrobras; a BR Foods, do setor de alimentos; a Light, distribuidora de energia do Rio de Janeiro; e o grupo de comunicação RBS – leia as versões das empresas ao final desta reportagem.

A investigação de julgamentos de ações no Carf não significa condenação. Como o trabalho da PF ainda está na fase de apuração, o número de empresas suspeitas pode diminuir ou aumentar.

A Operação Zelotes foi deflagrada na quinta-feira, com o cumprimento de 41 mandados de busca e apreensão em Brasília, São Paulo e Ceará. Em Brasília, foram apreendidos 16 carros, três motos, joias, R$ 1,84 milhão, US$ 9.087 e € 1.435. Entre os automóveis, estão quatro Mercedes, dois Mitsubishi Lancer e um Porsche Cayenne. Outros dez carros e cerca de R$ 240 mil em moeda nacional e estrangeira foram apreendidos em São Paulo, além de dois automóveis no Ceará. Os nomes dos proprietários não foram divulgados.

A Polícia Federal apura se integrantes do Carf eram subornados para suspender julgamentos, alterar votos e aceitar recursos a fim favorecer empresas. Segundo informou "O Estado", as propinas a membros do Carf variavam entre 1% e 10% do valor dos débitos tributários das empresas. O objetivo seria principalmente anular multas e obter amortização de ágio em casos de fusões e aquisições de empresas – a fim de se reduzir o pagamento de impostos.

De acordo com o jornal, a Operação Zelotes também apura a suposta participação no esquema do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, preso na Operação Lava Jato, que apura desvio de recursos da estatal. Segundo o jornal, ele teria atuado como representante de fornecedores da Petrobras que tinham débitos com a Receita.

O advogado de Cerveró, Edson Ribeiro, disse desconhecer a investigação, afirmou que a suspeita é "absurda" e que não há relação entre o cliente dele e os julgamentos do Carf.



Empresas

Veja abaixo os valores dos débitos das empresas que estão em discussão com a Receita Federal, segundo informações de "O Estado de S. Paulo", e a versão de cada uma:



- Santander (R$ 3,3 bilhões): "O Santander tomou conhecimento do tema pela imprensa. Em todos os processos sob análise do CARF, assim como perante qualquer outro órgão administrativo ou judicial, a defesa da empresa é sempre apresentada de forma ética e em respeito à legislação aplicável. 


Informamos, ainda, que estamos à disposição dos órgãos competentes para colaborar com qualquer esclarecimento que seja necessário", informou o banco por meio de nota.

- Bradesco e Bradesco Seguros (R$ 2,7 bilhões): "O Banco não comenta assunto sob investigação de autoridades", informou a instituição por meio de nota enviada à TV Globo.



- Ford (R$ 1,7 bilhão): A montadora informou à TV Globo que não irá se pronunciar.



- Grupo Gerdau (R$ 1,2 bilhão): "A Gerdau esclarece que, até o momento, não foi contatada por nenhuma autoridade pública a respeito da Operação Zelotes. Também reitera que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos", afirmou a empresa por meio de nota.



- Light (R$ 929 milhões): “A Light foi surpreendida pelos noticiários, informa que até o momento não foi notificada e assegura que sempre agiu e agirá, na forma da lei", afirmou a empresa por meio de nota.



- Banco Safra (767 milhões): Por meio da assessoria, o banco informou que não vai se manifestar.



- RBS (R$ 672 milhões): "O Grupo RBS desconhece a investigação e nega qualquer irregularidade em suas relações com a Receita Federal", informou a empresa por meio de nota.

- Camargo Corrêa (R$ 668 milhões): "A empresa desconhece as informações suscitadas pela reportagem", informou a empresa à TV Globo.

- Mitsubishi (R$ 505 milhões): Por meio da assessoria, a empresa informou que não vai se manifestar.



- Bank Boston, adquirido pelo Itaú (R$ 106 milhões): O G1procurou a assessoria do banco, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.



- Petrobras (R$ 53 milhões): Por meio da assessoria, a estatal informou que não vai se manifestar.



- BR Foods (valor ainda em apuração): A empresa informou à TV Globo que não vai se manifestar sobre o assunto e que suas atividades sempre se pautaram pelo cumprimento da lei.


G 1

Divergência de pautas expõe racha entre grupos anti-Dilma Rousseff


O co-fundador do Movimento Brasil Livre, Kim Kataguiri, no ato do dia 15, na Avenida Paulista
Apesar de terem parecido homogêneos pela prevalência de camisas verde-amarelas e cartazes contra a chefe do Poder Executivo brasileiro, os protestos que se espalharam pelo Brasil no último dia 15 de março se mostraram bem distantes disso. E a divergência de pautas de seus protagonistas começa, aos poucos, a gerar o início de um racha entre os grupos já confirmados para participar do próximo protesto contra Dilma, marcado para 12 de abril em São Paulo e em outras dezenas de cidades do País.

A divergência de ideias ficou explícita na Avenida Paulista já durante o protesto de 15 de março. Enquanto um trio elétrico emitia de suas caixas de som discursos de ódio contra o PT e em prol do impeachment de Dilma, um outro veículo, comandado por homens com roupas camufladas, pedia intervenção militar com o Hino Nacional ao fundo. Ao mesmo tempo, manifestantes rezavam o Pai Nosso logo ao lado, e outros, 200 metros à frente, bradavam músicas do pop nacional e gritavam contra a corrupção.

São dois os pontos que vêm desagradando o Movimento Brasil Livre (MBL), grupo de jovens responsável pelo agendamento dos protestos, e o Revoltados Online, ambos pró-impeachment. Primeiro, a presença de manifestantes defensores da intervenção militar no governo federal, encabeçados pelo SOS Forças Armadas, vistos por ambos como indesejados. Segundo, o fato de a organização que mais vem recebendo atenção midiática nos últimos dias, o Vem Pra Rua, não levantar a bandeira pela queda de Dilma Rousseff, o que vai de encontro à ideia central proposta pelos atos.

"Para nós, o Vem Pra Rua tem se mostrado quase tão contraproducente quanto os militaristas nos protestos", diz ao iG Kim Kataguiri, de 19 anos, co-fundador do MBL. "O nosso manifesto é por impeachment", concorda Marcello Reis, de 40 anos, líder do Revoltados Online.

"E aí surgem pessoas que querem aproveitar a oportunidade, que chamamos de oportunistas, para também levar suas causas aos atos que organizamos – o que deixamos, desde que não nos atrapalhem. E é justamente o que o Vem pra Rua tem feito. Enquanto pedimos impeachment, eles só pedem o fim da corrupção. Isso não faz sentido para nós."

"Esvaziamento das manifestações"
A insatisfação com o que chamam de "apropriação dos atos" que organizaram vem na semana em que o fundador do grupo Vem Pra Rua, Rogerio Chequer, passou a ser apontado por alguns veículos midiáticos como o principal líder dos protestos contra Dilma. No último fim de semana, a revista "Veja" publicou na seção "Páginas Amarelas" uma entrevista de três páginas com o empresário de 46 anos. Dias depois, na segunda-feira (23), Chequer foi o entrevistado da semana no tradicional "Roda Viva", da TV Cultura.

Tanto o MBL quanto o Revoltados evitam usar nomes, mas deixam claro que, para eles, tanta atenção seria consequência de um suposto envolvimento do Vem pra Rua, de Chequer, com o PSDB. "Todos os grupos no Brasil, e isso está muito claro para nós, estão pedindo impeachment. Agora, existe um grupo com uma pauta muito similar à do maior partido de oposição do País e que possui uma relação de grande amizade com as principais lideranças do partido. E me parece que ele ajuda a criar nestes atos um simulacro de 2013, que é justamente o desejo da Dilma", comenta Renan Santos, de 31 anos, um dos líderes do MBL.

Para Santos, do MBL, a presença de grupos sem o foco unânime de tirar a presidente do poder pode acabar levando ao esvaziamento das manifestações, como teria ocorrido quase dois anos atrás. Na ocasião, após alguns atos em prol da tarifa zero no transporte público, a população aderiu com empolgação às ruas, mas com reivindicações e ideologias tão distantes que em poucos protestos as chamadas "Jornadas de Junho" chegaram ao fim. Chequer, no entanto, rechaça a postura dos colegas de rua.

"Não vejo qualquer sentido nisso. Nosso posicionamento é o mesmo de antes do dia 15: não somos a favor do impeachment, mas isso pode mudar a qualquer momento. Já tínhamos essa postura antes e isso não esvaziou as ruas. Pelo contrário, levamos centenas de milhares de pessoas a elas", rebate Chequer. "Além disso, não vejo nada que pudesse indicar que estaríamos tentando nos apropriar do movimento em geral. Não é o nosso objetivo diminuir a importância de nenhum grupo ou de suas causas. E, não, não temos nenhuma conexão com o PSDB, nem ideológica e nem financeira."

Rogerio Chequer no protesto do último dia 15 de março: a mais festejada figura dos atos
Os grupos pró-impeachment discordam. "Ninguém sai de casa contra um inimigo genérico, contra a corrupção, pela esperança, pela probidade, pela ética. É um protesto contra a Dilma, com foco, cara e objetivo. E, quando o Vem Pra Rua age como tem agido, eles e os militares acabam competindo para ver quem nos atrapalha mais", ataca Santos, do MBL. 

"Eu não posso afirmar que o Chequer tenha relação com o PSDB, mas o grupo dele fez campanha em prol do Aécio [Neves à presidência], os mesmos artistas que apoiaram o Aécio [Neves à presidência] aparecem nos vídeos deles, o [senador tucano] José Serra discursou no caminhão deles [em dezembro]. É aquela coisa do cavalo: relincha, tem crina, anda de quatro, mas eu não posso falar que é um cavalo."

Cordialidade ameaçada
Também houve um afastamento entre os grupos de alguns meses para cá. Se, de acordo com os líderes do MBL, antes havia um relacionamento próximo para debates, inclusive de discussões devido a discordâncias políticas – o Revoltados Online, por exemplo, chegou a postar nas redes sociais após as eleições que "a única saída para o Brasil é a intervenção militar", e voltou atrás, hoje rechaçando a proposta –, atualmente a proximidade entre os pró-impeachment e os grupos discordantes a eles é quase nula. 

No meio desse caldeirão ideológico, a questão militar passou a ser ridicularizada. Após ver um cartaz no caminhão do movimento SOS Forças Armadas nos protestos do dia 15 com a frase "impeachment é para otário", Marcello Reis passou a classificar "quem pede intervenção de abestado". O líder do Revoltados também adotou um apelido que tem sido disseminado nas redes sociais a respeito de Rogerio Chequer, a quem passou a chamar, de forma bem-humorada, de "Talão de Chequer". 

"Só não estamos batendo em ninguém porque nosso lema é 'juntos somos mais fortes'", ameniza Reis, do Revoltados. "Mas não venha usurpar ou tirar os nossos méritos, frutos de anos de luta contra este governo. O cidadão está vindo para a rua porque está revoltado, quer mudança, quer impeachment, e vemos alguns grupos pegando o carro andando e querendo mudar o rumo da proza."

Marcello Reis, do Revoltados Online: ele voltou atrás e não quer mais a intervenção militar
O MBL tem postura semelhante. No protesto do dia 15, o grupo por diversas vezes gritou contra o Vem Pra Rua em seus discursos, bradando que o movimento segue "a mesma cartilha de uma oposição frouxa, que não funciona para este País". Também incentivou vaias entre seus seguidores em direção aos caminhões do SOS Forças Armadas ao longo de toda a tarde.

Mas, por ora, o grupo de Chequer é bem-vindo nos atos dos pró-impeachment. Como define Renan Santos, é um movimento "que não afronta a sociedade, com reais valores democráticos e composto por pessoas sérias, apesar de confundir e atrapalhar nosso foco". "Se começassem a tomar posições diferentes das do PSDB até sentiríamos mais confiança em trabalhar com eles", diz a liderança do MBL. Em relação aos pró-militares, no entanto, a coisa muda bastante de figura. 

"Nós os repudiamos. Tanto que, se necessário, entraremos com uma liminar na Justiça exigindo que eles sejam impedidos de protestar conosco. É uma opção e, se houver meios de cumpri-la, a levaremos adiante", afirma Santos, do MBL. "Existem vários outros dias no ano para que eles exponham suas groselhas. Mas que fiquem longe da gente, pois não somam em nada e só atrapalham." 

iG pediu entrevistas a Renato Tamaio e a Aparecido Duca de Almeida, lideranças do SOS Forças Armadas, para comentar as críticas dos outros movimentos à sua ideologia, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Fonte: Último Segundo

FATOS DO DIA 28/03

28 de março

  193 - O Imperador Romano Pertinax é assassinado por um grupo de soldados da Guarda pretoriana descontentes por terem recebido apenas metade do pagamento prometido.
1944 - É criado o Departamento de Polícia Federal do Brasil.
2007 - É inaugurada em Brinches, Portugal, a maior central solar do mundo.

Nasceram neste dia…
1515 - Teresa de Ávila, religiosa e poetisa espanhola (m. 1582).
1810 - Alexandre Herculano, escritor e historiador português (m. 1877).
1996 - Poliana Aleixo, atriz brasileira.

Morreram neste dia…
1941 - Virginia Woolf (foto), escritora britânica (n. 1882).
1985 - Marc Chagall, pintor russo (n. 1887).
2004 - Peter Ustinov, ator britânico (n. 1921).

Fonte: Wikipédia

Janine Ribeiro assumirá o Ministério da Educação; Eduardo Alves deve ir para o Turismo

Enfrentando problemas com a articulação política no Congresso e em um dia marcado por notícias negativas na economia, a presidente Dilma Rousseff tentou sair da defensiva articulando a definição de três novos ministros.

Dilma pôs um petista para comandar a comunicação do governo, escolheu um nome para tentar se reconciliar com a ala do PMDB na Câmara, onde seu governo tem enfrentado derrotas, e nomeou um acadêmico para substituir na Educação um político que saiu após brigar no Congresso.

Pela manhã, depois do anúncio de que a economia ficou estagnada no ano passado e agora caminha para a recessão, Dilma divulgou o nome do petista Edinho Silva, que foi seu tesoureiro de campanha, para comandar a Secom (Secretaria de Comunicação Social) da Presidência.

No início da noite, oficializou a escolha do professor da USP Renato Janine Ribeiro para substituir Cid Gomes, que deixou o governo depois de um embate com a base aliada do governo em sessão tumultuada no Congresso.

Fez ainda um gesto na direção da bancada do PMDB na Câmara, comandada pelo deputado Eduardo Cunha (RJ), e convidou oficialmente o ex-deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) para o Ministério do Turismo.

A nota confirmando a indicação do peemedebista estava praticamente pronta, mas a divulgação foi suspensa à noite porque faltava um sinal verde vindo do PMDB de que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) não vai se opor à escolha, já que Eduardo Alves irá ocupar o lugar de Vinicius Lages, afilhado político de Renan.

Edinho substitui o jornalista Thomas Traumann, que pediu demissão na quarta (25) depois do vazamento de uma análise interna da secretaria com críticas ao PT e à comunicação do governo.

Ex-prefeito de Araraquara (SP) e ex-deputado estadual, Edinho atualmente estava dando aulas em uma faculdade particular. Ele aceitou o convite depois de se reunir com Dilma no Palácio do Planalto. Sua posse está marcada para a próxima terça (31).

À Folha o novo ministro afirmou que a presidente pediu a ele a implantação de uma "política de diálogo" com os meios de comunicação e elogiou seu antecessor. Sobre o desejo do PT de controlar a distribuição de verbas publicitárias da área de comunicação para beneficiar grupos simpáticos ao governo, Edinho disse que a presidente foi clara na orientação para "manter critérios técnicos" na distribuição das verbas publicitárias do governo.

"Só quem não me conhece pode imaginar que eu assumiria um posto desta importância para fazer algum tipo de manipulação. Os critérios são técnicos e vão continuar assim", afirmou Edinho.

Na Educação, área considerada prioritária por Dilma, a presidente optou por um ministro com perfil oposto ao de Cid Gomes, que construiu sua carreira na política e não "media as palavras", segundo seus próprios aliados, quando discordava de algo.

Janine fez carreira na academia. Professor de Ética e Filosofia Política na USP (Universidade de São Paulo), ele trabalhou no governo Lula de 2004 a 2008 como diretor de Avaliação da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), do Ministério da Educação.

Sua escolha surpreendeu porque a pasta da Educação era disputada por petistas e peemedebistas e, recentemente, ele fez críticas duras tanto a Dilma como ao PT.

Em entrevista à edição de março da revista "Brasileiros", Janine criticou o fato de os avanços sociais do país nos últimos anos terem ocorrido pela via do consumo e disse que a presidente Dilma está isolada porque não dialoga.

Ele também criticou a falta de uma explicação mais clara do governo para as medidas do ajuste fiscal e disse que Dilma não dá autonomia aos integrantes de sua equipe. "Os ministros continuam tendo as orelhas puxadas cada vez que falam uma coisa de que ela não gosta", disse.

A oficialização do nome de Henrique Eduardo Alves esbarrava, dentro do PMDB, em dois aspectos. Renan Calheiros, que esteve na quinta-feira (26) com o ex-presidente Lula, quer uma compensação pela eventual perda da pasta do Turismo. Gostaria de indicar um nome para o Ministério da Integração Nacional.

Além disto, a entrega de um ministério neste momento a um expoente do PMDB contraria o discurso de Renan e Eduardo Cunha, que em público passaram a defender o corte de metade dos ministérios. A assessores, a presidente disse que estava tudo em suspenso, depois de ter acertado a indicação com o próprio Henrique Alves.

Leia a íntegra da nota sobre o Ministério da Educação:

A presidenta da República Dilma Rousseff convidou nesta sexta-feira (27) o professor doutor Renato Janine Ribeiro para assumir o cargo de ministro da Educação.

A posse do novo ministro será no dia 6 de abril.

Perfil
Renato Janine Ribeiro tem formação em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), mestrado pela Université Paris 1 Pantheon-Sorbonne, doutorado pela USP e pós-doutorado pela British Library. É professor titular de Ética e Filosofia Política da USP.

Tem 18 livros editados, além de inúmeros ensaios e artigos em publicações científicas. Em 2001, recebeu o prêmio Jabuti de melhor ensaio.

O novo ministro foi membro do Conselho Deliberativo do CNPq (1993-1997), do Conselho da SBPC (1997-1999), secretário da SBPC (1999-2001) e diretor de Avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) (2004-2008). Além disso, atuou como membro do Conselho Deliberativo do Instituto de Estudos Avançados da USP e é membro do Conselho Superior de Estudos Avançados da FIESP.

Secretaria de Imprensa
Presidência da República 

Fonte: Folha.com

Brasil cai para 89º em ranking de velocidade de conexão à internet

Apesar do Brasil ter registrado um aumento na velocidade de conexão na internet de 11% em um ano, o país perdeu posições em um ranking mundial sobre o assunto, segundo relatório trimestral publicado nesta semana pela Akamai, empresa de infraestrutura de internet.

O Brasil ficou na posição 89 do ranking mundial de internet mais rápida no quarto trimestre de 2014, seis posições abaixo do que no mesmo período de 2013. Estamos em décimo na lista entre os do continente americano, ficando atrás da Colômbia, Equador, Peru, México, Argentina, Chile, Uruguai, Canadá e Estados Unidos.

Apesar de o Brasil ter aumentado sua velocidade de 2,7 Mbps para 3,0 Mbps entre esses dois períodos -outros países tiveram um maior crescimento, como por exemplo o Peru e o Uruguai, que cresceram 50% e 87%, respectivamente.

Comparando-o com países de outros continentes o Brasil fica atrás de países como a África do Sul (3,2 Mbps), Portugal (8 Mbps), Suécia (14,6 Mbps), entre outros. O primeiro colocado no ranking é a Coreia do Sul, com média de velocidade de 22,2 Mbps. Pelo terceiro trimestre seguido, a média global de velocidade da conexão permaneceu acima da conexão banda larga de 4 Mbps, com aumento de 0,7%, passando para 4,5 Mbps.

Fonte: Folhapress