01

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

sábado, 8 de junho de 2013

COMO FAZER REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA - ABNT.


Metodologia da Pesquisa – Citações e referência bibliográfica

Fazer trabalhos acadêmicos é sempre um desafio para todo aluno universitário, principalmente para os novatos, também chamados de calouros. E uma das maiores dúvidas encontradas durante a elaboração dos trabalhos a se fazer é como fazer referências bibliográficas. E para ajudar a todos que precisam desse conhecimento é que postamos essa dica. Veja então as dicas.

1 - Citações

Citação é a menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, 2002b).

O autor lança mão de um texto original para extrair a citação, podendo ser reproduzido literalmente (citação direta, literal ou textual), interpretando, resumindo, ou traduzindo (citação indireta ou livre) ou uma informação extraída de fonte intermediária (apud – citação da citação). Nesse último caso, não será permitida a sus utilização para que os alunos possam estar pesquisando em fontes primárias e não se valendo da pesquisa de outros autores. Poderá ser utilizada, além das que foram solicitadas como número mínimo para as provas.
Nas citações, as chamada pelo(s) sobrenome(s) do(s) ator(es), pela Instituição responsável ou título incluído na sentença, devem ser em letras maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre parênteses, devem ser em letras maiúsculas.

1.1 Localização
As citações podem aparecer:
a) no texto;
b) em notas de rodapé

1.1 Citações diretas, literais ou textuais
Citação direta, literal ou textual é a que o autor transcreve, literalmente, de outra fonte, o texto, respeitando todas as características formais em relação à redação, à ortografia, e à pontuação originais.

Deve-se especificar no texto a(s) página(s), volume(s), tomo(s) ou seção(ões) da fonte consultada nas citações diretas, seguindo a data, separado(s) por vírgula precedido(s) pelo termo que o(s) caracteriza, de forma abreviada.

A citação pode ser breve (de até 3 linhas) transcrita entre aspas duplas, vindo incorporada ao parágrafo.

Quando o nome do autor estiver incluído na sentença, indicam-se a data entre parênteses e as páginas e o sobrenome com a primeira letra maiúscula e o resto minúscula. Quando o autor é citado dentro do parênteses, devem ser usadas letras maiúsculas além da data e da página.

Exemplo:
Bornheim (2003, p.34) descreve:”Sendo em-si, o ser exclui atividade e passividade:estas são noções humanas relativas ao comportamento do homem.”
Ou
“Sendo em-si, o ser exclui atividade e passividade: estas são noções humanas relativas ao comportamento do homem” (BORNHEIM, 2003, P.34)

Na referência bibliográfica, no final do trabalho acadêmico, a obra deverá estar citada obrigatoriamente da seguinte forma:

BORNHEIM, Gerd. Sartre. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2003. 315 p.
(ou G.) (Local: Editora)

b) Com mais de 3 linhas, não se utilizam aspas. As citações devem ser destacadas, no texto, com tamanho menor de letra que a utilizada no texto e devem contar com um recuo de 4 cm da margem esquerda.
Exemplo:
O em-si é absolutamente idêntico a si mesmo. Desse modo, princípio de identidade passa a ter um caráter regional e aplica-se de um modo absoluto ao em si. O outro reino, o humano, não é; muito mais, deve ser, busca ser (BORHEIMER, 2003, p. 34)

c) Citações Livres ou Indiretas de texto
No decorrer da elaboração de um texto científico, o estudante reproduzirá idéias de outro(s) ator(es) em texto livre, que não segue ao pé da letra o texto do autor. Esse procedimento denomina-se citação livre ou indireta. Nesse caso, indicar apenas o autor e, entre parênteses, o ano da edição do documento do qual a idéia foi extraída.
Geralmente, as citações indiretas expressam-se da seguinte forma: De acordo com Cavalcanti (2002); Segundo Cavalcanti (2002); Conforme Silva (2001); Silva (2001), afirma que, etc. Nesse caso não se indica(m) a(s) página(s) do documento referenciado.

Exemplos:
Segundo Silva (2001), não existe uma forma universalmente aceita para se definirem as crises monetárias.
Cavalcanti (2003) afirma que a dialética pode concentrar-se em dois pontos: um na História e outro na natureza.

d) Citação de citação (apud)
Engloba citações diretas e indiretas de um texto em que não se teve acesso ao original. Servir-se da citação de citação somente quando for realmente indispensável. Nesse caso, usar a palavra latina apud, que significa em, junto ª
Exemplo:

“ O surto de outro em face de mim como olhar faz surgir a linguagem como condição de meu ser”. (SARTRE apud BORNHEIM, 2003)

Nas Referências Bibliográficas
BORNHEIM, G. Sartre. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2003. p. 267.
Nota: Caso haja citações de dois ou mais trabalhos do mesmo autor publicados no mesmo ano, diferenciar cada obra com a utilização de letras minúsculas junto à data da publicação.
Exemplo:

Cavalcanti, 2000
Cavalcanti, 2000a

e) Citações sem autoria

A indicação da fonte da citação faz-se pela primeira palavra do título seguida de reticências, vírgula, data da publicação, vírgula e número da página.

Exemplo:

No texto:
“Em janeiro, pelo quinto mês consecutivo, o indicador da produção industrial brasileira apresentou crescimento[...]” (RITMO..., 2004, p.2).

Na lista de referências:
RITMO incerto. Folha de São Paulo, São Paulo, p.2, 11 mar. 2004.

Exemplos de uso de citações diretas:

Autor(es) não incluído(s) na sentença incluído(s) na sentença

Um autor (KRUGMAN, 2001, p.34) Krugman (2001, p.34)
Dois autores (SILVA; SANTOS, 2003, p.66) Silva; Santos (2003, p.66)

Três autores (GAL; GIL; SOUZA, 2002, p. 47) Gal; Gil; Souza (2002, p.47)
Mais de três autores (SOUZA et al., 2001, p.89) Souza et al. (2001, p. 89)

Para as indiretas segue-se o mesmo padrão sem a indicação da página

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Configuram a parte mais importante pós-textual e é obrigatória. Consistem em uma lista ordenada e normatizada de acordo com as normas da ABNT de 2002. Essa publicação estabelece as convenções para transcrição e apresentação dos elementos que permitem a identificação, no todo ou em parte, dos documentos citados nos textos acadêmicos.

A presença na lista de referências de todos os documentos citados, direta ou indiretamente é obrigatória.

Os documentos apenas consultados durante a elaboração do trabalho acadêmico, podem ser referenciados em outras listas, tais como listas de documentos ou de obras consultadas ou bibliografia recomendada.

Para citação em lista de referência, a denominação monografia inclui livros, trabalhos acadêmicos (trabalhos de conclusão de curso, dissertações, teses, relatórios de pesquisa, etc.), manuais, enciclopédias, dicionários, guias, etc.

Referência Bibliográfica constitui um conjunto de elementos que permite a identificação de documentos utilizados e citados na elaboração do trabalho. Segundo as normas, a lista de referências bibliográficas deverá contar com as obras efetivamente citadas.

Ao auxiliar os leitores na elaboração de novos trabalhos relacionados ao tema, a lista de referências bibliográficas torna-se valiosa fonte de novas pesquisas. Ela dá a ideia de profundidade com a qual o assunto foi tratado.

Elementos essenciais e complementares

Os elementos essenciais são considerados indispensáveis à identificação e deverão obrigatoriamente constar na lista de referências . Os elementos complementares não são obrigatórios, mas permitem a melhor identificação da obra e não raramente tornam-se essenciais. Embora a anotação de número de páginas da obra citada não conste como essencial nas normas que se está seguindo, muitas instituições de ensino e pesquisa exigem a inclusão desse elemento.

Elementos essenciais

. autor
. título e subtítulo
. edição (número)
. imprenta (local, editora e data)

Ordem de citação na referência
Nesse item, torna-se imprescindível prestar atenção aos detalhes – letras em caixa alta (maiúscula), ponto e ponto-e-vírgula.

Elementos essenciais
SOBRENOME DO AUTOR, Nome. Local de publicação: editora, data de publicação.
Elementos essenciais
a) Autoria
Um autor
Indicar o autor pelo último sobrenome em CAIXA ALTA (maiúscula) seguido do (s) prenome(s) e outros sobrenomes, como aparecem grafados no documento- a primeira letra de cada nome após o sobrenome em maiúscula. O sobrenome deverá ser separado dos outros nomes por vírgula seguida de espaço.
Exemplo: FAUSTO, Boris.
Sobrenome composto ligado por hífen:
Exemplo: NOLEN-HOEKSEMA, Susan.
Sobrenomes que indicam parentesco:
Exemplo: LIMA SOBRINHO, Alexandre José.

Escritores conhecidos, em geral mundialmente, pelos dois nomes:

Exemplo: GARCIA MARQUES, Gabriel. DANTE ALIGHIERI.

Exemplos:
Um autor

KOTLER, Phillip. Administração de marketing. 3. ed.. São Paulo: Atlas, 1993. 848p (opcional)
ou P.

Dois ou três autores

Trabalhos elaborados por dois ou três autores: mencionar os nomes de todos na mesma ordem em que constam da publicação, separados por ponto-e-vírgula.

Exemplos:
Dois autores
KRUGMAN, Paul; OBSTFELD, Maurice. Economia internacional: teoria e política. São Paulo: Makron Books, 1999. 809 p.
Três autores
MEGGINSON, Leon; MOSLEY, Donald; PIETRI JR., Paul. Administração: conceitos e aplicações. 4 ed. São Paulo: Harbra, 1998. 614 p.
A abreviação dos nomes próprios dos autores, autores editores, organizadores é aceita. Contudo, a padronização das listas de referência impõe a continuidade dessa escolha. Se iniciar sua lista de referências com os nomes próprios abreviados, o autor deverá seguir esse padrão na elaboração total da lista.

Exemplo:
MEGGINSON, L.C.; MOSLEY, D.C.; PIETRI JR., P.H. Administração: conceitos e aplicações. 4. ed. São Paulo: Harbra, 1998. 614 p.

c) Mais de três autores
Se há mais de três autores, transcrever o primeiro autor seguido da expressão latina et al. (que significa e outros).
Exemplo
ATKINSON, Rita L. et al.

Nas referências fica assim:
ATKINSON, Rita L. et al. Introdução à psicologia de Hilgard. 13.ed.Porto Alegre: Artmed, 2002. 790 p.

d) Autor entidade
As entidades são órgãos governamentais, congressos, seminários, empresas, comissões, comitês, eventos, etc. Nesse caso, o nome da entidade substitui o nome do autor.
Exemplo:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação – Referências. Rio de Janeiro, 2002, 24 p.

f) Entidade com denominação genérica
Inicia-se a referência com o nome da jurisdição geográfica, seguido pelo nome da entidade que produziu o documento e, na seqüência, o título do documento referenciado.
Exemplos:
BRASIL. Ministério da Fazenda. Relatório de atividades. Brasília, DF, 2003, 45 p.

g) Autoria desconhecida
A referência direta é o título do trabalho. A primeira palavra é apresentada em caixa alta (letras maiúsculas).
Exemplo:
DIAGNÓSTICO do setor de máquinas operatrizes. São Paulo: Fiesp, 2001. 78 p.
Exemplos na internet – Documentos eletrônicos
MARIANI, A.C. Teoria dos grafos. Disponível em: http// www.inf.ufsc.br/grafos/livro.html.. Acesso em: 27 fev. 2004.

Dissertações e Teses
NOHARA, Evandro L. Estabelecimento de parâmetros de processamento de compostos aplicados na área de elementos de fricção. 1998. 181 f. Dissertação. (Mestrado em Ci~encia) – Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), São José dos Campos, 1998.

Publicações Periódicas
Considera-se publicação periódica uma coleção inteira, fascículo ou número de revista, número de jornal, a matéria que consta em um volume, fascículo de periódico ou existente em um periódico (artigos científicos de revistas, matérias jornalísticas, reportagens, editoriais, seções etc.)
Exemplo:
FARIA, Alexandre. Pesquisa em redes estratégicas: descobertas e reflexões etnográficas. Revista de Economia Política, São Paulo, v.20, n4, p. 156-175, out./dez. 2000.

Periódicos em meio eletrônico considerados no todo
Exemplo:
REVISTA DO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA. Brasília: Brasília Jurídica, 1997. Mensal. CD-ROM. Ementário de Jurisprudência do STJ.


FONTE:
Postar um comentário