Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

quarta-feira, 29 de julho de 2015

SC tem o mês de julho mais quente em 54 anos, segundo Epagri/Ciram. Em todas as regiões, temperaturas mínimas ficaram acima da média. Urussanga, no Sul, e Caçador, no Meio-Oeste, ficaram 3,7°C mais quentes.

SC tem o mês de julho mais quente em 54 anos, segundo Epagri/Ciram.

Em todas as regiões, temperaturas mínimas ficaram acima da média.
Urussanga, no Sul, e Caçador, no Meio-Oeste, ficaram 3,7°C mais quentes.

PREVISÃO DO TEMPO SC - Temperaturas mínimas ficaram acima da média em todas as regiões de SC, segundo Epagri/Ciram (Foto: Carolina Lopes/G1) 
Temperaturas mínimas ficaram acima da média em todas as regiões de SC 
 
(Foto: Carolina Lopes/G1)
 
 
O mês ainda não terminou, mas, segundo a Epagri/Ciram, este está sendo o julho mais quente dos últimos 54 anos em Santa Catarina. Em todas as regiões, as temperaturas estão acima do esperado para o mês, que historicamente é o mais frio do ano no estado.

Cidades como Caçador, no Meio-Oeste, e Urussanga, no Sul, registraram temperaturas mínimas 3,7°C mais altas do que a média para o mês. As duas cidades não tinham um mês de julho tão quente, respectivamente, desde 1987 e 1961.

Videira, também no Oeste, que costuma registrar em média mínimas de 10°C em julho, ficou 3,4°C mais quente – desde 1995 a temperatura não ficava tão acima da média na cidade para este mês. Em Indaial, no Vale do Itajaí, a mínima está em 2,4°C acima do normal, o que não ocorria desde  1973.

Na Serra, as diferenças não são tão significativas, mas ainda assim as temperaturas mínimas para o mês estão acima da média histórica – Lages ficou 1,1°C menos fria, e São Joaquim, 0,9°C.
Urupema registrou geada nesta terça-feira (28) (Foto: Marília Oliveira/Prefeitura de Urupema)
 
 
Urupema registrou geada nesta terça-feira (28)
(Foto: Marília Oliveira/Prefeitura de Urupema)
 

Influência do El Niño

 
De acordo com o meteorologista da Epagri/Ciram Marcelo Martins, nos anos em que há influência do fenômeno El Niño, como 2015, ocorrem mais chuvas. “Isso faz com que as temperaturas fiquem mais elevadas, por causa da cobertura de nuvens”, diz Martins.

Segundo ele, o que puxa as temperaturas para cima são as partes mais baixas do estado. “Em cidades do Vale e da Grande Florianópolis as temperaturas estão quase 4°C acima do normal”, diz o meteorologista.

Até agora neste inverno o estado registrou poucas massas de ar frio e seco, segundo a Epagri/Ciram. Isso provocou apenas geadas isoladas – não há registro de neve até o momento em Santa Catarina.


G1  SC 
Postar um comentário