Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

terça-feira, 23 de junho de 2015

Adesivo inteligente pode substituir injeções de insulina em diabéticos -- Dispositivo do tamanho de moeda tem 100 microagulhas que monitoram e administram substância

Adesivo inteligente pode substituir injeções de insulina em diabéticos -- 

Dispositivo do tamanho de moeda tem 100 microagulhas que monitoram e administram substância
Dispositivo do tamanho de moeda tem 100 microagulhas que monitoram e administram substância | Foto: Zhen Gu Lab/Divulgação CP
Dispositivo do tamanho de moeda tem 100 microagulhas que monitoram e administram substância 


Foto: Zhen Gu Lab/Divulgação CP




Um adesivo "inteligente" capaz de detectar o aumento do açúcar no sangue e injetar insulina de forma indolor foi testado com sucesso em ratos. A pesquisa, publicada nesta segunda-feira, gera expectativa para milhões de diabéticos no mundo todo. Esse dispositivo subcutâneo do tamanho de uma moeda pequena é recoberto de cerca de 100 microagulhas similares a um cílio.

As "microagulhas" são dotadas de compartimentos microscópicos, que contêm enzimas sensíveis à glicose. Também são sensíveis à insulina, liberada se os níveis de açúcar detectados no sangue estiverem muito elevados, explicam os criadores do dispositivo. O aparelho foi nos Anais da Academia Nacional de Ciências (PNAS, em inglês).

O "patch" conseguiu reduzir durante nove horas a proporção de glicemia nos ratos de laboratório afetados por uma variedade do diabetes tipo 1, ou juvenil. Os inventores do adesivo consideram que outros testes clínicos são necessários antes de seu uso em humanos, mas consideram-no bastante promissor. "Concebemos um adesivo para diabéticos que funciona rapidamente, que é fácil de usar e fabricado com materiais atóxicos e biocompatíveis", relatou o professor Zhen Gu, do Departamento de Engenharia Biomédica da Universidade Estadual da Carolina do Norte (UNC/NC State University), principal autor desses trabalhos.

Os pacientes de diabetes tipo 1 e aqueles afetados por um tipo avançado de diabetes adulto, ou tipo 2, tentam manter os níveis de glicemia sob controle com injeções de insulina. O procedimento é, com frequência, doloroso e impreciso. 


C do Povo 
Postar um comentário