Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Saiba 7 mitos e verdades sobre as doenças causadas pelo Aedes aegypti

O Aedes aegypti é o vilão da vez, e tem amedrontado grávidas por todo o país. Isso porque o mosquito é responsável pela transmissão do zika vírus, associado pelo Ministério da Saúde a casos de microcefalia em recém-nascidos. Além disso, o Aedes aegypti transmite a dengue e a chikungunya.


Com o surto das doenças, o Governo Federal intensificou as campanhas contra o inseto. O diretor de comunicação da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, Rodrigo Lima, explica que o combate eficaz das doenças envolve o conhecimento dos sintomas causados por cada uma das febres. “Além da prevenção da doença, que se faz evitando a proliferação do mosquito, é importante reconhecer com rapidez os sinais e sintomas das doenças, e procurar atendimento médico sempre que necessário”, reforça.


Rodrigo esclarece sete mitos e verdades a respeito da dengue:


1) Quem já teve dengue uma vez não terá mais a doença
Mito. Existem quatro subtipos do vírus da dengue. “Assim, uma pessoa que já teve dengue pode desenvolver novamente a doença caso seja infectada com um subtipo com o qual não teve contato anteriormente”, explica.


2) Todas as pessoas precisam fazer exames de sangue para diagnosticar a doença
Mito. “O diagnóstico da dengue pode ser feito apenas por exame clínico, sendo os exames de sangue reservados para casos de potencial grave, ou caso o médico tenha dúvidas a respeito do diagnóstico”. Ao identificar sintomas como fortes dores no corpo, de cabeça, vômitos e náuseas constantes, é necessário procurar atendimento em uma Unidade de Saúde. “A dengue pode ser confundida com outras viroses e com a gripe, e o diagnóstico é importante para definir o tratamento”.


3) Se não for diagnosticada a tempo, a doença pode levar a pessoa à morte
Verdade. “A doença, principalmente a dengue hemorrágica, pode agravar o quadro clínico do paciente se não diagnosticada e tratada a tempo”.


4) O Aedes aegypti só circula durante o dia
Mito. “O inseto não tem hábitos específicos relacionados a períodos do dia para circular, podendo picar durante o dia e durante a noite”.


5) Só é preciso se preocupar com a proliferação do mosquito durante o período de chuvas. Mito. “Períodos de estiagem, por exemplo, são particularmente perigosos para a reprodução do mosquito, pelo hábito de armazenamento de água”, aponta Rodrigo. O Aedes aegypti pode se reproduzir a partir de ovos depositados em água parada como garrafas, pneus e caixas d’água, entre outros recipientes.


6) É possível evitar a dengue
Verdade. “Manter a casa livre de possíveis focos de proliferação do mosquito e orientar vizinhos a fazer o mesmo pode evitar que o inseto esteja próximo de você”. Repelentes também são indicados.


7) O tratamento consiste basicamente na hidratação e no uso de sintomáticos
Verdade. “A medida mais importante no tratamento é a ingestão de líquidos, que evita as complicações da doença, e o controle dos sintomas. Importante lembrar que o uso de ácido-acetilsalicílico (AAS) é contra-indicado por aumentar o risco de sangramentos”, finaliza.


Fonte: Tribuna do Ceará
Postar um comentário