Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

terça-feira, 21 de julho de 2015

POR QUE UMA MÃE DELETOU O FACEBOOK DA FILHA DE 10 ANOS?

POR QUE UMA MÃE DELETOU O FACEBOOK DA FILHA DE 10 ANOS?


Está lá, na seção de perguntas frequentes do Facebook: “Para se cadastrar no Facebook, é preciso ter pelo menos 13 anos”.

Tenho quase certeza que você conhece alguém com menos de 13 anos que tem uma conta na rede social, certo?

Dá para entender por que as crianças não respeitam a regra – a maioria das vezes com o aval dos pais. As redes sociais são um ambiente extremamente convidativo. Dá para jogar, assistir a vídeos e, principalmente, manter contato com os coleguinhas de escola. Proibir o seu filho de usar o Facebook pode lhe render um ar de mãe radical ou carrasca. Significa ouvir a resposta automática: “Mas todo mundo na minha classe está no Feeeice!”

Daí entra a velha máxima da minha mãe: “Se todo mundo se jogar do penhasco, você se joga junto?”. Como eu odiava quando ela falava assim… mas, como boa mãe que é, tinha razão.

Você deixaria sua filha ou seu filho brincar numa praça que está lotada de gente com más intenções?

Nada melhor para chamar a atenção para um problema tão sério do que um relato verdadeiro publicado por uma mãe. Ontem, a carioca Eliane Soares, mãe de uma garota de 10 anos, compartilhou uma história em sua página no Facebook de causar calafrios.

Leia trechos do relato:

“Sempre achei que criança não deveria ter facebook, mas a maioria dos amiguinhos da C. tem, e sempre ouvi de muitas pessoas que eu era radical por não deixá-la ter… Enfim, acabei cedendo. Ontem à noite ela pediu pra usar e deixamos, pela primeira vez. Imaginem qual não foi o tamanho da minha surpresa ao ver que ela tinha 92 solicitações de amizade, a maioria com fotos de adulto no perfil e sem nenhum amigo em comum! Me pergunto o que uma criança de 10 anos tenha de tão interessante pra um adulto desconhecido, embora, infelizmente, eu já saiba a resposta… Ela veio muito assustada mostrar pra mim e pro meu marido uma mensagem de um desconhecido. Que bom que conversamos muito com ela e a orientamos, mas mesmo assim ela poderia ter caído na conversa.”

As imagens falam mais do que qualquer comentário que eu possa fazer:

Troca de mensagens com suspeito de praticar crime de pedofilia (Foto: reprodução)

A partir daí, Eliane começou a se passar pela filha até enquadrar o sujeito. Ele a bloqueou.

As ruas estão cheias de criminosos ou gente com doenças que podem levá-las a cometer crimes. Por isso, ninguém em sã consciência deixa o filho pequeno sair por aí sem supervisão, certo? Deveria ser assim também nas redes sociais.

O relato de Eliane é raro. As pessoas preferem não se expor. Mas é essencial para abrir os olhos de outros pais e responsáveis por menores que insistem em criar perfis em redes sociais. Como disse a própria Eliane em seu post: “Tudo no seu tempo.”





Fonte: Revista Época

Postar um comentário