Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

domingo, 7 de junho de 2015

Filtro de água para áreas pobres ganha prêmio


Um engenheiro químico da Tanzânia venceu um renomado prêmio de inovação. 

Ele inventou um filtro capaz de absorver contaminantes, bactérias, vírus e pesticidas e assim transformar água suja em potável. 


Askwar Hilonga usou nanotecnologia e areia para desenvolver o filtro. 
Ele disse à BBC que a invenção pode ajudar 70% das residências do seu país, que não têm acesso a água potável. 

Patente 
O filtro já foi patenteado por seu criador. 

"A areia retém detritos e bactérias, mas não remove contaminantes químicos e metais pesados, então, usei nanomateriais para fazer isso", disse Hilonga. 

O inventor diz que seu filtro custa atualmente US$ 130, cerca de R$ 400, mas com o prêmio, esse custo poderá ser reduzido com a compra de materiais em maior escala. 

"Para quem não pode pagar por um filtro, criamos estações onde as pessoas podem comprar água a um preço acessível." 

Prêmio 
O prêmio, no valor de US$ 38,3 mil (R$ 115 mil), foi conferido pela Royal Academy of Engineering, que reúne profissionais de engenharia do Reino Unido. 

A instituição busca auxiliar engenheiros da África Subsaariana a desenvolver negócios capazes de resolver problemas da região. 

"Essa inovação pode mudar a vida de muitas pessoas na África e ao redor do mundo", disse o juiz Malcom Brinded, líder do comitê de avaliação da premiação. 

Como 
A tecnologia, segundo Hilonga, consiste na habilidade manipular nanomateriais para remover elementos contaminantes específicos (como cobre ou bactérias), dependendo de qual for a fonte da água. 

O cientista explica, em um vídeo no YouTube publicado em 2014, que outras resinas podem remover até 97% dos microorganismos, mas que seu objetivo ao produzir um filtro com nanotecnologia era atingir um índice de 99,99%. 

Experiência de vida 
A família de Askwar Hilonga sofria regularmente com doenças relacionadas à água contaminada durante sua infância no interior da Tanzânia. 

Quando ele se formou no pós-doutorado em nanotecnologia na Coreia do Sul, passou a analisar este tipo de material para purificar água.

Fonte: BAND
Postar um comentário