Quanto pagamos de Imposto:

Visite o blog: NOTÍCIAS PONTO COM

Visite o blog:  NOTÍCIAS PONTO COM
SOMENTE CLICAR NO BANNER -- JORNAL PONTO COM **

PENSE NISSO:

PENSE NISSO:

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Sintomas de enxaqueca: aprenda a identificar e tratar

Liliane Rose Christ
Editora de conteúdo

Você sabe identificar os sintomas de enxaqueca e conhece os tratamentos disponíveis? Caso sua resposta seja negativa, está na hora de conhecê-los. Afinal, você pode estar sofrendo com um problema de saúdebastante comum e que pode tornar prejudicar bastante a sua rotina.



Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a enxaqueca atinge aproximadamente 20% da população mundial. No Brasil, 30 milhões de pessoas têm enxaqueca, conforme levantamento da Sociedade Brasileira de Cefaleia.



Conhecer os sintomas de enxaqueca também é importante porque ela não é simplesmente mais uma dor de cabeça. Pesquisas realizadas pela OMS identificam a existência de mais de 150 tipos de cefaleia, e a enxaqueca ocupa uma posição bastante preocupante em um dos rankings da entidade, sendo a quarta colocada quando o assunto são as doenças crônicas mais incapacitantes do mundo.

Mais forte que a cefaleia, a enxaqueca nem sempre recebe tratamento adequado. Foto: iStock, Getty Images
O que é a enxaqueca?

A enxaqueca diferencia-se de outras dores de cabeça pela soma de dois importantes fatores: é uma doençahereditária e crônica. Pode aparecer em qualquer idade, embora seja mais comum em pessoas de 10 a 30 anos.



Ela se manifesta quando há liberação desequilibrada de serotonina, o analgésico natural do organismo que é produzido no cérebro. Verificado esse desequilíbrio, alteram-se os padrões de contratação e dilatação das artérias, resultando em dor. Não é considerada uma doença grave, mas é preciso ter atenção.



De acordo com um estudo divulgado pela Universidade de Copenhague, da Dinamarca, quem sofre de enxaqueca tem maiores chances de desenvolver lesões cerebrais, anormalidades na massa branca e alterações no volume cerebral.



Dependendo do tipo de enxaqueca, os estudiosos concluíram que o risco pode ser até 68% maior do que em pessoas que não apresentam o problema.


Principais sintomas de enxaqueca

Especialistas identificam que a enxaqueca se apresenta como uma cefaleia que atinge apenas um dos lados da cabeça, de intensidade moderada a forte e forma latejante. Os episódios de enxaqueca normalmente duram de 4 a 72 horas, e eles efetivamente “derrubam” a pessoa – se ela fizer esforço físico, sentirá um agravamento da dor.



Além desses clássicos sintomas de enxaqueca, algumas pessoas apresentam outros sinais específicos. É comum que tenham sensibilidade à luz, a cheiros e ao barulho, ou então apresentem náuseas ou vômitos.



Há, ainda, a enxaqueca com aura, que é quando, além de todos os sintomas acima, a pessoa apresenta perda da visão ou visão embaçada, fraqueza ou dormência e dificuldades para falar.


É possível evitar os sintomas da enxaqueca?

Diversas pesquisas indicam que certos hábitos podem ser gatilhos para crises de enxaqueca. Como a doença não tem cura, essa é a melhor maneira de administrá-la.



Quem dorme mal à noite ou passa longos períodos em jejum possui maior propensão a desenvolver crises. Do mesmo modo, alterações nos hormônios e estresse são alguns fatores que podem deflagrar episódios.



Além disso, é importante ter cuidados com a alimentação. De acordo com o Instituto de Medicina Biomolecular (IMEBI), pessoas que sofrem com enxaqueca devem evitar comer queijos ou chocolates, por exemplo, além de moderar o consumo de café.

Consumo de café deve ser controlado por quem tem crises de enxaqueca. Foto: iStock, Getty Images
Tratamento da enxaqueca

Se você estiver apresentando os sintomas de enxaqueca, o ideal é buscar um médico, que poderá indicar o melhor tratamento para o seu caso. A enxaqueca não tem cura, mas é possível administrá-la. Com o tempo, seus sintomas podem desaparecer por completo.



O tratamento é feito com uma série de medicamentos, como neuromoduladores e antidepressivos. Além disso, o médico irá identificar fatores que, no seu caso, deflagram as crises, explicando como contorná-los.

http://doutissima.com.br/2013/05/20/saiba-como-tratar-a-enxaqueca-4168/
Postar um comentário